Paulo Mendes_Plano XXI – Portuguese Contemporary Art

(Original: Sandra Vieira Jürgens, «Artists and Works» in Plano XXI – Portuguese Contemporary Art, Lisboa, 2001 [Exposição comissariada por Paulo Mendes e António Rego que decorreu entre 16 Set. e 14 de Out. 2001 em Glasgow/Escócia], 2000).

Paulo Mendes desenvolveu no início dos anos 90 as suas concepções artísticas numa clara aproximação crítica aos valores dominantes da arte na década de 80, uma arte a seu ver ordeira e pouco interessante. Realizou primeiro Do it Yourself – Faça Você Mesmo (1993) onde expôs ironicamente as referências persistentes da arte portuguesa – as revistas de arte estrangeiras – para logo depois, sob o título A Escolha do Crítico (1993), reflectir sobre o panorama institucional através da noção de mediação exercida pela crítica de arte. Algumas das suas peças buscam o debate acerca de temas sociais, como Kiss Me Stupid/35 Years of Love (1995), onde um Ken portador do vírus HIV surge a sodomizar Barbie, e em E[x]Romance (1997) que, situando-se no universo da cirurgia plástica, questiona o processo de normalização do corpo pelos media, de onde ressalta a ideia de diferença como deficiência. No mais recente Karaoke Life Project/#2 Kaleidoscope Frenzy (1999), as referências são as de um universo autobiográfico, onde permanece a marca distintiva das suas apresentações e com ela uma imagem nítida da nossa época. É que na obra de Paulo Mendes a mistura de diferentes registos, formando um todo caótico, revela sempre a estranheza perante qualquer leitura uniforme e coerente da experiência do mundo.

pdf: SVJ_Paulo Mendes_Plano XXI

Create a free website or blog at WordPress.com.